Barão da Mata - Verdades e Diversidades

Barão da Mata - Verdades e Diversidades
Assista aos meus vídeos em http://www.youtube.com/user/demostenesmb

sexta-feira, 15 de março de 2013

CAIFÁS FOI O MAIOR FOFOQUEIRO DA HISTÓRIA


Entre os maiores criadores de intrigas da História, sem dúvida quem ganha de longe o "Troféu Futrica" é o Caifás.  Sentindo que as pregações de Jesus  estavam tornando o rabino popular, temeroso de que o que   o homem apregoava pela Galiléa acabasse por colocar em xeque a credibilidade, o prestígio e o poder dos fariseus, seita da qual era, ele, Caifás, sumo sacerdote e por extensão presidente do Sinédrio...  Por isto  o líder religioso apressou-se em procurar Pôncio Pilatos, governador da Judéia ocupada por Roma.
Pilatos estava num momento de intimidade:praticava uma orgia em pleno salão de seu palácio, e tomou um susto quando o sacerdote surgiu de repente, sem se fazer anunciar.
-  Qual é, Caifás? Como é que você entra assim de repente, sem tossir, sem se avisar nem nada. Quer participar , comunica antes...
- Não é nada disso - retrucou Caifás - Tenho um assunto muito sério pra tratar com você...
- E interrompe minha orgia!?  Só pra isso? Tu é muito cara-de-pau...!
- Vai-se vestindo e dispensando a galera - o juiz era arrogante e autoritário - que o negócio é sério mesmo.
O governador não se conformava, voltava-se para as outras pessoas:
-  Vê se pode! Não é um abuso?! - e agora vira-se para Caifás: - Acontece que o governador aqui sou eu!
- Que mané governador! - insistiu o religioso - Mando contar pro Tavinho que você não quer saber dos problemas do território ocupado e ele manda te cortar a cabeça.
- Tavinho?
- É Pilatos! O Caio Júlio César Otaviano Augusto, tá bom assim?
- Mas que intimidade com o imperador...?
-Ah, Pilatos! Deixa de chilique!  Sabe que eu e o homem somos carne-e-unha.  Agora manda esse pessoal todo embora..  Vai lá, vai,manda!
O governado sacudiu a cabeça com indignação, mas obedeceu, voltando-se para os outros:
- Vão lá, vão, meninas e rapazes.  Amanhã a gente continua.  Não deixem de voltar, gosto muito de transar com vocês todos.  Agora vão depressa, tá?
Quando o salão se evacuou:, Pilatos dirigiu-se ao sacerdote:
- Pronto, Caifás, desembucha logo!
O outro respondeu de pronto:
- É esse tal de Jesus de Nazaré...
- Ih, Caifás! Lá vem você com essa história de novo!  Isso já é ideia fixa.  Tem uns remédios que são bons pra isso, uns antidepressivos... ou então procura fazer terapia...
- Terapia o quê, Pilatos!  O cara vive dizendo que é rei de não sei qual reino, e as pregações dele podem ameaçar a credibilidade, o poder e o prestígio da gente...  e até mesmo a nossa integridade física!
- Viu como tu tá maluco!? - discordava o governador - Se é quem eu tô pensando, é um cara até muito do pacífico, dizem até que falou pra dar a César o que é de César... Não tá a fim de brigar com Roma...
-  Não importa, Pilatos, o que você pense! - agastou-se Caifás - O homem é um perigo e o lugar dele é na cruz e ponto final!
- Peraí, Caifás, o governador aqui sou eu...
- Para com essa conversa fiada!  Você é governador só até eu falar com o Tavinho... Vou te "detonar" pra ele,  tu vai ser levado pra Roma de coleira no pescoço e corrente, vai ver só... Vai virar comida de leão!  Comida de leão!
Foi por isto que Pilatos permitiu que o Sinédrio condenasse Jesus à morte.
Quando soube que o corpo havia sumido, o sumo sacerdote voltou ao palácio e deu um puta esporro em Pôncio:
- Eu não te falei, porra(!), que tinha que mandar vigiar o corpo, pra evitar que sumissem com ele e dissessem que o homem ressuscitou!
-  Mas eu mandei vigiar - Pilatos respondeu meio cínico e desinteressado, sentindo-se vingado.
Caifás deixou o palácio batendo os pés com força no chão, enfurecido.
Ao vê-lo sair, Pilatos sorriu, chamou um soldado, perguntou-lhe:
- Como é que foi mesmo esse negócio do sumiço do corpo?
O soldado baixou a cabeça, os gestos agitados, e explicou:
- Aí, Excelência, o negócio é o seguinte: eu não gosto de mentira, não.  A verdade é que a gente bebeu quando tava levando o corpo.  A gente ia bebendo e os seguidores dele acompanhando a gente de longe, a gente bebendo e eles acompanhando..  Sacumé, né, meu governador!?   A caminhada foi longa e teve uma hora que a gente emborcou, dormiu mesmo.  Quando acordou, foi aquele desespero: um perguntando pro outro: "Cadê o corpo, malandro?!  Cadê o corpo, malandro?!  E agora, meus deuses?! Como é que vai ser?!
- Mas quem levou a bebida pra vocês? - tornou Pilatos.
- Não sei, Excelência!  Antes de a gente sair, tinha um monte de garrafas de vinho bem no meio do caminho. Alguém que não sei botou lá.
- Está dispensado. Pode ir. - o governador despachou o homem.
Quando o soldado saiu, Pilatos manteve no rosto um sorriso malicioso e cínico.

Barão da Mata

Nenhum comentário:

Postar um comentário